Quinta da MassôrraVinhos genuínos - Fruta com sabor

História

Sabe-se que na casa da Quinta, dotada de capela privativa dedicada ao Espírito Santo, viveu a família Coelho de Macedo e que Abel Coelho de Macedo, tendo vivido na Casa do Choupal com a esposa D. Leonor Pinto Cochofel em finais do séc. XIX, foi descendente e proprietário. Após a sua morte, os seus herdeiros venderam a Casa a um senhor de nome Gastão, de Resende, o qual, por sua vez a vendeu ao Eng. Carlos Bento Freire de Andrade, Director das Minas de Ouro e Diamantes de Angola, que residia no Estoril. Tudo indica que este senhor tinha ascendentes em S. João de Fontoura, alguns dos quais muito provavelmente teriam sido donos da Quinta da Massôrra.

Por sua vez, o referido Eng. Freire de Andrade vendeu esta propriedade a José Botelho dos Santos, pai do actual proprietário, Prof. Doutor Valdemar Cardoso, ilustre cirurgião (que atendeu e encaminhou graciosamente para os hospitais do Porto muitos doentes do concelho, sendo, por isso, muito acarinhado pela população) e professor jubilado da Faculdade de Medicina do Porto, que aqui, como sempre fez, continua a passar sempre que pode os seus fins-de-semana.



Família

Rui Viseu Cardoso, Anabela Cardoso
Ana, Margarida e Miguel

Rui Viseu Cardoso, um dos cinco filhos do atual proprietário, nasceu e viveu no Porto até terminar o ensino secundário. Em seguida, licenciou-se em Engenharia Agrícola pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), tendo tirado um mestrado em Inglaterra, no SilSoe College (Cranfield University) na área de Marketing Agro-Alimentar. Mas a sua paixão pela quinta da família em Resende fazia com que quase todos os fins de semana acompanhasse o seu pai à Quinta da Massôrra, onde também passava grande parte das suas férias. Já formado, e com uma carreira profissional promissora (director do departamento de marketing no Instituto do Vinho do Porto), casou com Anabela Cardoso, também do Porto e formada em Economia na Faculdade de Economia do Porto (FEP), tudo fazendo prever que as suas vidas iriam ter como epicentro a cidade do Porto.
Mas o apelo do casal por um novo estilo de vida e a paixão que ambos tinham pela Quinta, foi decisivo, para irem viver, em 1998, com o seu primeiro filho para a Quinta da Massôrra. Vários anos passados, ao Miguel juntaram-se a Ana e a Margarida, companheiros inseparáveis de brincadeiras e ajudantes irrequietos nos trabalhos agrícolas e da adega.